REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

Geral: A República Centro-Africana ou, raramente, República da África Central é um país localizado no centro da África, limitado a norte pelo Chade, a nordeste pelo Sudão, a leste pelo Sudão do Sul, a sul pela República Democrática do Congo e pela República do Congo, e a oeste pelos Camarões. A capital do país é a cidade de Bangui. A maior parte da República Centro-Africana consiste em savanas, mas o país também inclui uma zona Sahel-sudanesa no norte e uma zona de floresta equatorial no sul.

Sociedade e Meio Ambiente: Apesar de suas jazidas minerais significativas e outros recursos, tais como reservas de urânio, petróleo, ouro, diamantes, madeira e energia hidrelétrica, bem como quantidades significativas de terras aráveis, a República Centro-Africana está entre os dez países mais pobres do mundo. É um país de economia bastante agrícola: agricultura de subsistência e de exportação, e criação de gado. A principal fonte de riqueza mineral é a produção de diamantes. A industrialização limita-se ao beneficiamento de produtos minerais e vegetais. As rendas provenientes do turismo não cobrem seu déficit comercial, o que o torna um dos países mais pobres do mundo. Tal situação é agravada pelo isolamento geográfico, que contribui para desaquecer a exploração de urânio, além de limitar as exportações (café, algodão, madeira, diamantes) do país. Os recursos energéticos próprios são escassos e o país depende do exterior, com exceção de algumas centrais hidroelétricas.

Rio 92: De acordo com a delegação da República Centro-Africana as comunidades humanas estabelecidas nas zonas temperadas do mundo desenvolveram tecnologias de grande escala para aproveitar a natureza e explorar os recursos naturais. Eles chamaram a civilização que eles construíram sobre esta fundação de uma civilização do progresso. Na zona tropical não era necessário reservar provisões para uma estação fria, quando, durante todo o ano, as pessoas pudessem obter sua subsistência de pesca, coleta e caça, sem recorrer à capital da natureza. Dito isso, a delegação centro-africana foi à Conferência para tentar equilibrar a relação entre o Norte e o Sul no que diz respeito à administração do patrimônio pelo qual cada um foi responsável. É enfatizada a posição dos países do Sul que procuram, primeiramente, resolver os problemas de saúde, pobreza, fome e educação de seus povos, isso sem colocar em risco o meio ambiente que conseguiram preservar. Para isso, é necessária uma transferência sem interesses ocultos de financiamento e tecnologia por parte dos países desenvolvidos.

Através destas ações concretas, a República Centro-Africana quer contribuir para o novo diálogo Norte-Sul, que deve ser instituído ao vincular estreitamente a proteção dos direitos humanos, o ambiente e os imperativos do desenvolvimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s