PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

Eai galere! Como vai essa força nesse domingão?

Hoje vamos explicar como funciona a proposta de resolução, vocês sabem o que ela é? de onde vem? o que come? Sexta no globo repórter

Pois vamos te explicar e é agora: a proposta de resolução é um documento formal que aponta as decisões e direção futura de temas que foram debatidas e decididas dentro do comitê.

Assim como todo documento formal deve ser, a formatação da proposta tem regras a serem obedecidas na hora que ela for formulada, mas não se assustem porque vamos explicar todos os elementos dela e ai meus anjos, ceis vão ta os brabo da proposta de resolução.

Antes de mais nada, a proposta é divida em três seções principais: Cabeçalho, Preâmbulo e as cláusulas operativas.

Começando pelo cabeçalho, que é o primeiro item da proposta, ele deve conter o nome da conferência, o nome do comitê, a lista de patrocinadores e a lista de signatários. Lembrando que o patrocinador é o escritor da proposta, enquanto o signatário é uma delegação que apoia DISCUTIR/DEBATER aquela proposta. Uma proposta precisa de no mínimo 2 patrocinadores e 3 signatários. Por exemplo:

Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento
Cúpula da Terra
Patrocinadores: Canadá, Estados Unidos
Signatários: Brasil, EUA, Cuba
exemplo hipotético

O preâmbulo vem logo após o cabeçalho e é o primeiro item que vai de fato entrar na resolução, é como se fosse o prefácio de um livro. Normalmente ele recorda soluções anteriores semelhantes ao tema do comitê e traz assuntos pertinentes para a discussão. As cláusulas preambularias nada mais que as frases do preâmbulo começam com um verbo no gerúndio como: recordando, buscando, afirmando… ando e afins. Essas cláusulas terminam com virgula e a última cláusula termina com dois pontos para dar inicio as cláusulas operativas. Aqui um exemplo de uma proposta de resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU):

E pra finalizar com grande estilo a sua proposta de resolução, é preciso um capricho nas cláusulas operativas. O objetivo delas são delinear recomendações e linhas de ação específicas que estão sendo colocadas como possível solução para o problema debatido no comitê. Elas devem ser numeradas (1,2,3…) e começam com um verbo no presente, como por exemplo: aceita, confirma, recomenda, proclama e afins. Dentro das cláusulas operativas ainda podem existir as sub-cláusulas, que são vinculadas a alguma das cláusulas operativas e devem ser numeradas baseada nessa relação (1.1;1.2;2.1…). O que é mais importante na hora de formular as cláusulas é ser bem específico e realista. Segue exemplo das cláusulas operativas da mesma resolução da AGNU citada acima:

Então é isso, qualquer dúvida que vocês tiverem não hesitem em entrar em contato, estamos a disposição quase 24h por dia!! Até a próxima gentes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s